Baile da Saudade reuniu cerca de mil pessoas e homenageou pioneiros

O tradicional Baile da Saudade, promovido todos os anos pela Secretaria de Cultura, reuniu cerca de mil pessoas que acompanharam as homenagens aos pioneiros nesta quinta-feira (5). O baile é um evento cultural realizado desde 1989 com o objetivo de promover a integração e homenagear os primeiros desbravadores de Maringá, que contribuíram para a formação e desenvolvimento da cidade. As homenagens integram as comemorações do Dia Municipal do Pioneiro Maringaense, comemorado anualmente em 7 de julho, integrando o calendário oficial do município.

Durante o baile os pioneiros prestigiaram um show com a Banda Pétalas e tiveram a oportunidade de dançar com os instrutores contratados especialmente para animar a festa. Os pioneiros foram fotografados por uma equipe contratada pela secretaria na entrada e durante o baile. No final do evento eles receberam as imagens reveladas, levando as lembranças para casa.

O prefeito Roberto Pupin acompanhou a festa e agradeceu a todos os pioneiros presentes. “Se vivemos em uma das melhores cidades do Brasil, uma cidade maravilhosa e privilegiada, é por conta da participação dos pioneiros e do empenho das pessoas que vieram viver aqui e ajudaram a construir nossa cidade. Os pioneiros merecem a homenagem e o reconhecimento de todos os moradores”, destacou.

Os pioneiros Amando Fugiana, Maria Soares, Antonio Minoru Morimoto, Elvira Abrão da Silveira, José Remígio Pereira, Laurindo Cordiolli, Odette Alcântara Rosa, Oswaldo Chiuchetta, Sebastiana Chiareto Rodrigues e Stefânia Moreno Rodrigues Alves foram homenageados e receberam placas da Prefeitura Municipal como reconhecimento pela contribuição para o desenvolvimento da cidade.

As placas de homenagem foram entregues pelo prefeito Roberto Pupin, pela secretária de Cultura, Flor Duarte e pela secretária de Assistência Social e Cidadania, Miriam Raquel.

A secretária de Cultura, Flor Duarte, conta que o Dia Municipal do Pioneiro Maringaense foi instituído em 2010, pela Lei nº 8.778. Por esta razão, o baile que era sempre realizado no mês de maio como parte das comemorações do aniversário da cidade, foi transferido para julho.

Flor agradeceu aos pioneiros pela contribuição. “Que cidade espetacular vocês fizeram para nós. A promoção desse evento é uma homenagem muito simples se considerarmos tudo o que os pioneiros já fizeram pela cidade. Se hoje moramos num local tão bom como é Maringá, devemos isso aos nossos pioneiros”, concluiu.

Até 2004 as comemorações aconteciam em praça pública, ao ar livre. A partir de 2005 a Prefeitura passou a promover o baile em clubes, com mais conforto aos convidados. A festa é direcionada para os pioneiros cadastrados no Patrimônio Histórico – Secretaria de Cultura e familiares.


Homenageados em 2012

Amando Fugi: nascido em São Manoel (SP), em 22 de agosto de 1922, filho de Antônio Fugi e Pierina Gabriel Fugi. Veio para Maringá no ano de 1952, se dedicando inicialmente ao trabalho como motorista. Casado com Maria Madalena Fugi, com quem teve quatro filhos.

Ana Maria Soares: 
nascida em Jequié (BA) no dia 10 de dezembro de 1930. Chegou em Maringá em 1952 juntamente com seu esposo, Otaviano Pereira Soares, com quem teve cinco filhos. Foram donos de um bar na rodoviária, onde ela trabalhava como cozinheira. Trabalhou também na plantação de café em sua casa. Dona Ana, hoje com 82 anos, sempre deu todo o suporte para seus filhos e esposo.

Antonio Minoru Morimoto: chegou à Maringá com sua familia em 30 de julho de 1958, vindo de Alfredo Marcondes (SP). Trabalhou carpindo café e como motorista. Após anos trabalhando fora, retornou à cidade no ano de 1982.  Na década de 1990 perdeu completamente a visão, em decorrência de um glaucoma, dedicando-se então a atividade de massagista, profissão que aprendeu com seu pai, praticando-a até os dias de hoje.

Elvira Abrão da Silveira: nascida no dia 19 de dezembro de 1932, na cidade São Pedro da União, filha de Joaquim Gomes da Silveira e Cezarina Nascimento da Silveira. Chegou em Maringá no  ano de 1950. Casada à 58 anos com Munir Abrão, que juntos criaram quatro filhos. É avó de 9 netos, e um bisneto. Ela agradece a Deus todos os dias, por ter vindo para cá e construido uma família da qual tem muito orgulho.

José Remígio Pereira: natural de são sebastião do Paraíso (MG), nasceu em 30 de abril de 1913, filho de José Remígio  Pereira e Maria Madalena. chegou em Maringá no ano de 1953. Casado com Florinda Rossi Pereira, com quem teve sete filhos. Trabalhou como operador de máquina de café.

Laurindo Cordiolli: 
nascido na cidade de Jaboticabal (SP), em 20 de fevereiro de 1937. Chegou em Maringá em julho de 1951, trabalhando inicialmente na lavoura, na estrada guaiapó. Casado com Antônia Laquanette Cordiolli, trabalhou em vários ramos, como motorista na Casa Vila Real e mecânico para Hermes Macedo. Em 1977 fundou a Cordiolli Transportes, hoje administrada pela família.

Odette Alcântara Rosa: nascida no dia 28 de abril de 1922, em Luminosa (MG), chegou em maringá no ano de 1948,vinda de Jacarezinho (PR), exerceu funções como professora,vice-diretora, orientadora, diretora e auxiliar de secretaria em várias colégios da cidade como o atual  colégio dr. Oswaldo Cruz.

Oswaldo Chiuchetta: natural de Concórdia (SC), chegou em Maringá em 1956. Foi responsável pela instalação do primeiro moinho de trigo na região norte do Paraná, em 1957, passando a cultivar o milho. Também foi pioneiro na criação de suínos de alta linhagem na região na década de 1960. Foi um dos responsáveis pelas campanhas que resultaram na criação do instituto agrônomico do trigo em Londrina. Seo Oswaldo ajudou na fundação da Associação das Industrias Moageiras de Milho do Brasil, assim como foi um dos fundadores da Santa Casa de Maringá, além de ser sócio fundador de vários clubes da cidade, como o Country Club.

Sebastiana Chiareto Rodrigues: nascida na cidade de Descalvado (SP), no dia  1º de julho de 1931, d.Sebastiana chegou em Maringá no ano de 1951, acompanhada de seu marido. Mãe de cinco filhos, foi dona de uma churrascaria no centro da cidade e funcionária da primeira Comarca de Justiça de Maringá.

Stefânia Moreno Rodrigues Alves:
 nascida no dia 25 de setembro de 1928, na cidade de Divisa Nova (MG). Uma das primeiras professoras do município de Maringá. chegou em dezembro de 1946. Foi professora e secretária da escola isolada do municipio de Maringá Velho. Viúva de Thyrso Rodrigues Alves,  foi atuante nas campanhas eleitorais do marido. Mãe de quatro filhos, d. Stefânia participou de muitas iniciativas importantes de Maringá, tanto no campo da educação como no social. Participou como organizadora de várias festas beneficentes.

Mostrar próximo post
Carregando