Vigilância Sanitária orienta consumo de produtos na Semana Santa

O departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria estadual da Saúde elaborou algumas dicas para orientar os consumidores na hora de comprar os alimentos mais consumidos na Semana Santa. Os cuidados devem ser observados quanto ao local de venda, condições de armazenamento, preparo e características dos produtos.

O primeiro alerta é observar algumas características dos peixes, um dos produtos mais consumidos nesta época. O peixe fresco deve apresentar carne firme e resistente à pressão dos dedos, escamas brilhantes e bem aderidas à pele, olhos ocupando totalmente as órbitas, guelras com a face interna brilhante e vasos sanguíneos cheios e fixos e brânquias de cor rosa ao vermelho intenso.

Outro ponto importante para os peixes congelados é verificar se estão armazenados à temperatura adequada indicada pelo fabricante na embalagem. O produto deve ser mantido sob refrigeração máxima de 0ºC e o acúmulo de água ou gelo indica que o balcão foi desligado ou teve sua temperatura diminuída. O local de venda também deve ser observado pelo consumidor, que deve evitar estabelecimentos sem a certificação dos serviços da vigilância sanitária. A ingestão de alimentos malconservados pode causar danos à saúde, como infecções alimentares.

Para o bacalhau a indicação é que seja armazenado em local seco, arejado e limpo. Deve-se verificar se não há presença de mofo, ovos e larvas de moscas, manchas escuras ou avermelhadas, amolecimento e odor desagradável. A embalagem do produto deve apresentar rótulo com denominação de venda, data de validade, país de origem e o nome da espécie.

Para o consumo de crustáceos a orientação é que tenham aspecto brilhante e úmido, corpo em curvatura natural, pernas e patas firmes e resistentes, cheiro próprio e coloração suave. Já para os moluscos a recomendação é que sejam consumidos cozidos, já que têm a característica de reter microorganismos e impurezas no seu interior.

Na hora do preparo, é preciso ter muito cuidado com a higiene. As mãos devem estar lavadas com água e sabão e as unhas curtas e limpas. Procure evitar o contato entre alimentos crus e cozidos. Os utensílios utilizados no preparo de alimentos crus devem ser lavados antes de serem utilizados no preparo de alimentos cozidos. “É muito comum que as pessoas utilizem uma mesma tábua para cortar alimentos durante todo o processo de preparo da refeição, mas é preciso cuidar para não contaminar ingredientes que serão consumidos crus com os que estão sendo cozidos”, alerta a coordenadora da Vigilância Sanitária de Alimentos, Marise Penteado.

Tudo aquilo que for preparado e não for imediatamente consumido deve ser armazenado na geladeira em vasilhas tampadas, e não deve ser mantido em temperatura ambiente por mais de duas horas.
Chocolates – Os chocolates são outro ponto que merecem atenção. Os ovos de Páscoa, bombons e tabletes não podem sofrer a incidência de luz solar ou umidade e devem ser armazenados em local fresco e arejado. A embalagem do produto não pode estar furada ou amassada e deve conter informação nutricional, data de validade, nome e endereço do fabricante e denominação de venda.

O consumidor deve denunciar à Vigilância Sanitária municipal caso suspeite de irregularidades em algum estabelecimento. Outro meio de denunciar na Ouvidoria do SUS no Paraná, pelo telefone 0800 644 4414.

Mostrar próximo post
Carregando